A conhecida plataforma Brainly, conhecida como uma rede social mundial educativa onde

os alunos ajudam uns aos outros com as lições, trocam conhecimento, estudam em grupo

e fazem amizades, foi alvo de muitas críticas.


Recentemente, ao utilizarem a plataforma, os alunos se depararam com o Brainly Plus, um

novo meio, agora pago, que substitui a antiga plataforma. Sem poder acessar os conteúdos,

os estudantes inundaram as redes sociais com comentários que demonstravam todo seu

descontentamento. O Twitter, em especial, se tornou um grande palco de queixas.


Será que desta vez se dará o “jeitinho brasileiro” para driblar o Brainly Plus?